segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Iansã,deusa a levantar-se em vento

Eparrei Iansã
Eparrei minha mãe
Não me canso de estar à sós comigo tomando vento.Respiro puro ar fresco.
Banho de vento.Aqui em Trancoso parece que sempre o ar condicionado está ligado.
O sol atrás das nuvens filtrado em seu excesso é calorzinho gostoso.
Tudo sol,tudo sol,tudo sou nesta performance clara que justifica minha existência.
O vento passa pelo meu corpo e se vai cíclico e contínuo levando tudo que não me pertence-
as dores,mágoas,angústias,ressentimentos,cansaço,pressa,impaciência,medos,contrariedades ,
aborrecimentos.
A terapia do vento.O vento é um possante veículo energético em movimento,arejador de ideias,ótimo dispersante de energias negativas.Potente estimulante para a fadiga crônica ,mal dos tempos.
Não tenho nada a fazer a não ser tomar vento.
O mamoeiro com as folhas arregaladas para cima.O vento cresce em vendaval,parece mês de agosto,janeiro não é mês de vento assim como este que muda as coisas de lugar e é forte.
O vento não tem caminho,venta tudo,é o movimento se fazendo de lugar.Venta tanto que as roupas secam em um minuto estendidas no varal.
O ar esta refrigerado,limpo,conservante,claro como um cristal.
O rio lá embaixo,esse sim tem caminho,segue feito esteira para o mar.
O vento é a deusa de todos os espaços,cabeleira alvoroçada,pelos arrepiados,ondas que viram vagas.E com sua força enfurecida tsunamis,macaréus,furacões,maremotos.
Um sucessivo balouçar,agora brando,carícia,deleite.Brisa.
Tudo dança no seu ciciar rasante,beijante ar fresco.
Impetuoso,rebelde o vento existe por si,não tem nascente,não foi nascido,brota do começo do nada e se apresenta com o poder de uma deusa majestosa .
Eparrei Inhansã! que comanda o invisível,a fidelidade aos próprios princípios,o poder da mudança,a leveza da pluma que voa,a rota dos pássaros,a maré mansa.
O vento é vivo e ninguém o vê.Universo tangível,toque do invisível.
Bate portas e janelas.O que não se sustenta cai.As redes balançam e rangem o som das redes.
A poeira levanta, a areia muda de lugar.
E segue o sossego das lesmas,o voo dos pássaros planando no vale.As cigarras em coro crescente anunciando a noite.
O balé das folhas à meia luz é um tango de encontros fugidios.Um roçar de verdes encantos.O rubro do hibisco dobrado.As luzes amarelas do jardim.
Iansã guerreira,deusa da vitória viva,intensa com seu colorido tonal de vermelho elétrico,coral,damasco,laranja e todas as nuances do rosa,salmão,pêssego,fucsia,rosa da cor de rosa.Todos os tons de vinho.Todas as nuances do fogo.
De natureza instável Iansã é a voz do gorjeio dos pássaros,do tinir dos metais das espadas,do fragor da tempestade,do silvo forte dos ventos sinistros que uivam nas noites tenebrosas.
Cortejo brilhante da misteriosa deusa,dona dos raios,desdobradora das velas dos navios,indicadora dos rumos sem caminho.
Em sua honra a oferenda do cobre trabalhado,dos panos de seda,o algodão puro.As comidas servidas com manga,os temperos fortes de dende e pimenta.
Senhora dos ventos ,dona de si livre,adorada na planta que a representa o flexível bambu de natureza múltipla,bela e utilitária.
Iansã domina o mistério das sombras a potência da luz.
Diversa é a luz de sua energia plástica que na inquietude apaixonada constroe uma realidade viva,uma linguagem alegórica de coisas pulsantes,emocionais.
Seus objetos sagrados falam de amor,seus versos são voluptuosos,seus encantos são naturais.A mais bela dança,os gestos mais sensuais,pulseiras que tilintam em pulsos, braços e tornozelos.
Leques,abanos,adornos exclusivos.
Olhos que a tudo vêem , sendo de um mundo invisível,desperto na intuição.
Coragem,entusiasmo,impulso e fé são qualidades do seu coração.
A mim Iansã aparece viva na natureza,semeadora de sóis na minha vida.
E me inicia verão após verão em seus símbolos vivos.
Eparrei Iansã
Eparrei
Salve Santa Bárbara
Salve

4 comentários:

Anônimo disse...

Que sorte tem Trancoso ao ter uma grande poetisa a cantá-la!

Raquel disse...

OI, Cris.

Banho de vento é uma das minhas predileções. Li suas palavras, fechei os olhos me banhei neste vento de trancoso, que recordo tão bem.
E adorei a música It's a Beautiful day. Amei. Ele é compatível com a minha alma.

Bjo gde
Seja feliz!
Raq Fayad

ram! disse...

hermoso lugar hermosas palabras,
saludos desde santa fe, argentina! roberto

Léo disse...

Pouso sei da cultura da Umbanda. Mais tuas palavras fortes sobre a divindade elevou o moral da mesma, Coisa forte e irrefreável.

"Eu vejo as Fúrias, eu vejo as Valquirias... Donas do próprio peito, força embaralhadora de sentimentos, Espalma mudo um sussurro no coração, tão forte é minha paixão quão bonito és teu caminho descalço e incompreendido"

Agora soltei meu lado poético. rsrs...